• http://www.marioquintana.com.br/

    CPERS e governo gaúcho divergem sobre primeiro dia da greve do magistério

    Sul21 - O sindicato dos professores da rede pública do Rio Grande do Sul (CPERS) e o governo gaúcho fazem avaliações distintas sobre o primeiro dia de greve do magistério. A categoria anunciou oficialmente o movimento na última sexta-feira (23) e deu início à paralisação nesta segunda-feira (26).

    De acordo com o sindicato, várias escolas fecharam as portas no primeiro dia da greve em cidades como Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Esteio. Na Capital, os colégios Júlio de Castilhos, Inácio Montanha, Flores da Cunha e Protásio Alves teriam fechado as portas. “Os estudantes estão mobilizados junto com os professores. Tivemos um dia de muita movimentação e diálogo com a comunidade escolar”, afirma a presidente do CPERS, Rejane de Oliveira.

    Por outro lado, o Palácio Piratini informa que “praticamente não houve greve” e que a maioria das escolas gaúchas trabalharam normalmente. “O único dado que temos é de que uma escola em Uruguaiana fechou completamente. Em Porto Alegre, as escolas que fecharam foram a Protásio Alves e a Espírito Santo”, assegura o secretário estadual de Educação, José Clóvis de Azevedo.

    O CPERS baseia suas informações nos relatos colhidos junto aos 42 núcleos do sindicato no interior do estado, enquanto que a Secretaria de Educação busca os dados junto às coordenadorias regionais. Nem o governo, nem o sindicato souberam precisar em números as adesões à greve.

  • Liberdade, "Livro do Século", segundo o Guardian

    Marcos Macedo

    Um bom livro para quem procura uma leitura fluente e interessante, com temas contemporâneos, que seja inteligente sem ser obscuro. Trata-se de Liberdade, de Jonathan Franzen.

    Escrito em 2010 e publicado em 2011 no Brasil, o livro foi recomendado pelo jornal The Guardian como "o livro do ano, e do século".

    O New York Times classificou-o como "um retrato incisivo do nosso tempo", um poderoso painel da vida contemporânea. Como se não bastasse, foi a leitura do presidente Obama em suas férias na praia. Se bem que Bill Clinton foi visto certa vez com "O Alquimista" de Paulo Coelho debaixo do braço...

    "Liberdade" é bem escrito e não é superficial. Franzen é reconhecido pelos retratos psicológicos extensos.

    A história tem uma infinidade de personagens bem desenhados, mas gira em torno de um triângulo amoroso. Walter é um democrata com preocupações ecológicas, politicamente correto, que se envolve num escândalo ambiental.

    Jonathan

    Patty, sua esposa, é uma ex-jogadora de basquete que depois da aposentadoria se dedicou à família. Competitiva, ela fica sem rumo depois que os filhos crescem. 

    Richard é ex-colega de faculdade de Walter e roqueiro que demorou para alcançar sucesso. Depois de tornar-se celebridade, quer fugir da própria fama.

    "Liberdade" é um daqueles raros livros que dão a sensação de ler algo absolutamente atual. Uma espécie de "A Insustentável Leveza do Ser" versão 2011. O Ipad 2 da literatura. Bom e contemporâneo.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • 'Segunda cidade gaúcha com maior número de funcionários públicos + orçamento menor, o salário do servidor tem de ser menor', diz Leite ao Simp

    Prefeito e equipe recebem lideranças do Simp e da Guarda Municipal

    Municipários e guardas municipais visitaram o prefeito Eduardo Leite e a vice, Paula Mascarenhas. O grupo quer "negociar" seis dias parados (evitar descontos) pela categoria no mês de julho e debater o reajuste do adicional risco de vida. 

    Leite concordou que sejam compensados os dias parados. Também se dispõe a estudar a possibilidade de antecipar ao menos uma parte dos 125% de reajuste planejados para janeiro – a categoria queria 150% –, percentual que equipararia o adicional ao reajuste concedido aos agentes de trânsito.

    "Vou consultar minha equipe para que seja avaliada a questão financeira e política, uma vez que não queremos criar constrangimentos com outras categorias. Se for possível, faremos nova proposta ao nosso próximo encontro”, adiantou. 

    O prefeito disse aos interlocutores que "Pelotas é a segunda cidade gaúcha com maior número de funcionários públicos (8 mil, contando administração direta e indireta), número este bem superior a Caxias do sul, por exemplo, que tem mais recursos". 

    Prosseguiu: "É claro que essas questões interferem na questão salarial. Se temos mais funcionários e orçamento menor, o salário terá que ser menor. Cada categoria olha isoladamente a sua função, o que é natural, mas a Administração precisa olhar o todo e tentar ser justa”, ponderou Eduardo.

    Na reunião, foi formada uma Comissão de três representantes da GM e outros três da prefeitura. Eles devem se reunir nas próximas semanas para discutir assuntos pertinentes à categoria.

    Adeus ao Capa sob mira dos bombeiros

    A partir de quarta (28), a Procuradoria-geral do Município (PGM), o Procon e a Unidade de Gerenciamento de Projetos (UGP) têm novo endereço: avenida Ferreira Viana, 1.135, imediações do Foro. Abandonam assim o Centro Administrativo Professor Araújo (Capa), que chegou a ser interditado pelos bombeiros. O secretário de Gestão Administrativa e Financeira, José Cruz, diz que o remanejo vai gerar economia de cerca de R$ 13 mil por mês. Ele avisa que em breve o Capa será passado por inteiro, pois está finalizando negociações para locar outro prédio, este para abrigar as secretarias de Qualidade Ambiental (SQA) e de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana (SGMU), que permanecem no Capa. O valor dos aluguéis não foi informado.

    Cartão para créditos do Estacionamento Rotativo

    Prefeito e vice testaram o uso do cartão abaixo, nesta segunda (26). Créditos podem ser obtidos pelo telefone celular, como eles fizeram. "O Estacionamento Rotativo é uma forma de organizar o trânsito da cidade e de dinamizar o acesso ao Centro e ao comércio local", disse Leite. Paula disse que "o sistema moderniza e torna mais democrático o espaço público". Até a próxima quarta o serviço vai funcionar de forma educativa, a cobrança começa a valer na próxima quinta-feira. Os parquímetros podem ser acionados por moedas (depositadas até completar o valor pretendido), cartões pré-pagos (disponíveis no comércio por R$ 12 com carga inicial - até R$ 14) ou por ativação de tíquetes virtuais via smartphone, tablet ou internet. As tarifas praticadas vão de R$ 0,75, para 30 minutos a R$ 3  para duas horas. O tempo máximo de permanência em área demarcada é duas horas.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Drama da Metade Sul, por Pedro Simon

    Senador gaúcho analisa em discurso no Congresso a situação da Metade Sul do estado, na qual Pelotas e Rio Grande estão inseridas, e aponta possíveis soluções para reabilitar a região em termos econômicos e sociais. Entre as medidas, pede a criação de um fundo específico de financiamento para os municípios desta área

    Pedro Simon, senador

    Pedro Simon

    Senador da República, PMDB

    Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Senadores:

    Durante os anos de 2003 e 2004 o Congresso Nacional debruçou-se no exame de alterações na Constituição Federal no que se refere ao sistema tributário. 

    Tramitou aqui no Senado a PEC nº 74/2003, que foi promulgada como a Emenda Constitucional nº 42. Entretanto, os pontos divergentes foram desmembrados do texto da PEC 74 e transformados na PEC 74-A, que retornou à Câmara dos Deputados para reexame.

    Nesta PEC paralela, depois de amplo e difícil entendimento, diversas bancadas estaduais conseguiram sensibilizar esta Casa e no texto (Art. 159, I, c da CF) que dá tratamento fiscal diferenciado às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com destaque para o semiárido nordestino,  incluímos regiões deprimidas e com estado de degradação semelhante. 

    Tais como o Noroeste do Espírito Santo, o Vale da Ribeira do Paraná e de São Paulo, o Noroeste do Rio de Janeiro, o Oeste de Santa Catarina, o Norte de Minas Gerais, e, finalmente, a Metade Sul e o Noroeste do Rio Grande do Sul

    Como já disse, a matéria voltou à Câmara – como PEC paralela, e teve com Relator o ex-Líder do Governo, o Deputado Virgílio Guimarães, do PT/MG. 

    Estranhamente, a proposição foi rejeitada e arquivada, num claro e inequívoco descumprimento do amplo acordo construído, repito, com extremo esforço, aqui no Senado.

    Esta matéria sobre o tratamento diferenciado para as regiões deprimidas do meu Estado vem sendo discutida há longos e longos anos.

    Eu mesmo venho apresentando emendas que lamentavelmente não são aceitas nesta Casa ou, quando acatadas, são sepultadas pela indiferença ou pela insensibilidade da Câmara dos Deputados.

    Sempre considerei que as leis que incentivam o Nordeste e o Norte do meu Brasil são absolutamente corretas. Corretas e justas. 

    DRAMÁTICA REALIDADE NO RS

    Mas lá no Rio Grande do Sul está acontecendo um caso de uma dolorosa e dramática realidade. 

    Uma realidade que o Congresso infelizmente não consegue aceitar e que o Governo Federal, pela inércia, faz com que fique cada vez pior.

    O Rio Grande do Sul sempre foi considerado um Estado rico. Quando houve a Revolução de 1930, o Rio Grande do Sul era o segundo Estado arrecadador do país. O primeiro era São Paulo com mais de 20% da riqueza nacional. O segundo, o Rio Grande do Sul, tinha 12% desse bolo.

    O tempo passou, e as medidas tomadas ou simplesmente desdenhadas fizeram com que a Metade Sul do território gaúcho, na região de fronteira do Brasil com a Argentina, se transformasse em uma zona cada vez mais depauperada.

    METADE SUL

    A Metade Sul do Rio Grande do Sul, localizada no extremo meridional do país, possui a maior área fronteiriça do Mercosul e é integrada por 106 municípios, ocupando uma área de 153.879 quilômetros quadrados.  

    É o equivalente a 52% do território gaúcho, onde vivem cerca de 2.600.000 pessoas — um quarto da população do Estado.

  • Profissionais que vão atuar em Pelotas pelo Programa Mais Médicos

    Esta é a relação de médicos que vão atuar em Pelotas, pelo Programa Mais Médicos, do governo federal.

    Gonzalo Fabian, único estrangeiro, de Cuba. (já no Brasil, faz treinamento em Porto Alegre até dia 13 de setembro, depois vem trabalhar em Pelotas)

    Jader Franci Carvalho Oliveira, 27 anos (de Santa Maria)

    Alex Borges Carvalho (de Santa Maria)

    Anderson Souza Silva, 26 anos (de Pelotas)

    Verônica Carvalho Gutierres, 24 anos (de Pelotas) 

    Mari Lucia Alves de Castro (de Pelotas)

    Leonardo Antunes Fuentes (de Pelotas)

    Paulo Fernando Alves da Porciúncula, 50 anos (de Pelotas).

    * A relação acima foi confirmada pela Secretaria de Saúde local.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • 'Cuba ajudará a reeleger Dilma?'

    "Em relação aos médicos cubanos: qual será o valor acordado que Cuba devolverá para ajudar na reeleição de Dilma? Teremos voos com malas e malas de dinheiro Cuba-Brasil? Fico pensando nisso…"

    Otavio Borio Dode, médico

  • Marina sai de cena

    Serra deve deixar o PSDB para concorrer

    Sem querer falar em plano B, Marina não poderá disputar eleições. José Serra tem a preferência do PPS, caso decida pelo adeus ao PSDB

    Maurício Dias

    Carta Capital - Parece definida a situação de Marina Silva em relação à eleição presidencial de 2014. Como não há mais tempo hábil para cumprir as exigências legais para a Rede Sustentabilidade formalizar o registro junto ao Tribunal Superior Eleitoral, ela não tem opção. Fica fora da competição ou, até o dia 4 de outubro, põe o pé no estribo do primeiro bonde que passar. No entanto, Marina tornou proibido falar em “plano B”.

    Não há espaço para ela no PSOL. Não há como retornar ao PV, com o qual rompeu após disputar a eleição de 2010 e “arrancar” quase 20 milhões de votos. Talvez ela seja bem recebida no PPS, que tem como preferência, no entanto, a adesão de José Serra, caso ele decida dar adeus ao PSDB.

  • Aldyr Garcia Schlee, cisplatino y antiimperialista

    Geraldo Hasse

    Um perfil do escritor, que na noite desta sexta autografou seu novo livro Contos da Vida Difícil, na Bibliotheca Pública Pelotense

    Aldyr Garcia Schlee

    Publicada originalmente em maio de 2013, na revista Brasileiros

    A certidão de nascimento diz que ele é brasileiro de Jaguarão, o currículo informa que trabalhou no Rio de Janeiro e em Porto Alegre antes de seguir carreira como professor da Faculdade de Direito de Pelotas, onde se aposentou em 1992, mas não tenhamos dúvidas: Aldyr Garcia Schlee é um tipo fronteiriço, um cisplatino, como se diria há 200 anos, quando a Banda Oriental do (rio) Uruguai fez parte do Império do Brasil como Província Cisplatina. Ou, como se poderia dizer hoje, é um mercosulino da gema -- predisposto a abolir as fronteiras que dividem os povos.

  • E outra greve de professores vem aí

    Virou rotina. Professor luta para ganhar mais, governos dizem que não têm como pagar, pois não há caixa. No fim, quem 'paga' são os estudantes

    Sul21 - Foi aprovada nesta sexta-feira (23), durante assembleia de professores ligados aos Cpers/Sindicato, convocação de greve da categoria com início na próxima segunda-feira (26). A assembleia que aprovou a greve ocorreu no Auditório Araújo Viana, com a presença de cerca de 2,5 mil professores. O governo gaúcho seria informado da paralisação ainda na sexta-feira.

    A assembleia contou com a presença de 42 núcleos do Cpers. Além de Porto Alegre, outros núcleos do interior do RS já haviam aprovado a paralisação, entre eles os de Bento Gonçalves, Passo Fundo, Erechim, Cruz Alta e Alegrete.

    A principal demanda da categoria é a retomada imediata das negociações salarias com o governo gaúcho. O Cpers quer o pagamento do piso nacional para professores e funcionários, usando os critérios estabelecidos pelo Ministério da Educação. Além disso, pedem manutenção dos planos de carreira e licença maternidade ampliada para seis meses. 

    Em nota oficial liberada pouco antes do começo da assembleia, o governo do RS afirma que ofereceu respostas aos itens apresentados pela categoria e garantiu estar disposto a manter o diálogo. A resposta teria sido repassada no dia 15 de agosto. “Na reunião ocorrida no dia 19 de agosto, com o pedido de maior objetividade às respostas, o secretário de Estado da Educação, Jose Clovis de Azevedo, propôs outra audiência de negociação com a presença, inclusive, de secretários de outras pastas já que a pauta extrapola questões da educação”, diz a nota. 

    “Diante do silêncio da direção sindical para a continuidade das negociações, ficam em suspenso todos os avanços propostos como, por exemplo, as promoções de 2003-2012, o abono de faltas relativo a atividades sindicais entre 2008-2010 e a exclusão de servidores que atuam em escolas, no plano de carreira”, conclui o documento.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • O chefão

    Marcos Macedo

    Na famosa cena inicial do filme O Poderoso Chefão, durante o casamento de sua filha, Marlon Brando, no papel de Don Corleone, entretém seus convidados enquanto conduz seus negócios. Ele não recusa nenhum pedido ou favor a um amigo leal, dá conselhos e dinheiro quando necessário. Ele assegura que um imigrante ilegal possa ficar nos Estados Unidos para casar com uma moça apaixonada. Manda surrar um não-italiano por ter abusado da filha de um amigo, mesmo desgostoso porque o amigo, em busca de justiça, procurou a polícia antes de procurá-lo.

    O filme é uma transposição para as telas bastante fiel ao livro de Mario Puzo, em inglês intitulado The Godfather. As primeiras edições brasileiras, na década de 1970, saíram com o título O Chefão, apenas após o sucesso do filme é que o livro passou a usar o mesmo título do filme. Em inglês, godfather significa padrinho, e também é como são chamados usualmente os chefes da máfia americana.

    Para demonstrar respeito, as pessoas se dirigem a Don Corleone chamando-o padrinho. Na tradução do título para o português, teve-se de optar entre uma das acepções da palavra, e se preferiu usar o termo chefão, que designa o chefe da máfia.

    Nisso se perdeu grande parte do impacto do título, porque poderoso chefão invoca apenas um lado violento e autoritário, enquanto que Don Corleone, com sua fala mansa, seus argumentos sensatos e seu poder de convencimento, age a maior parte do termo como um padrinho afetivo e preocupado com os afilhados. Age assim a maior parte do tempo, porque, se após muita conversa e tentativa de convencimento, não conseguir o quer, extermina quem se opõe a ele.

    Mesmo para quem lembra bem do filme, o livro mostra-se vigoroso. Há muitos pontos e personagens pouco explorados no filme. Don Corleone está velho, enfrentando as trapaças da idade, e procura entre os filhos, muito diferentes um do outro, um sucessor à altura.

    No livro o relacionamento entre pai e filhos, o pai observando e aconselhando-os, é um dos pontos altos. Também o caminho trilhado por Michael (no filme, Al Pacino) está mais claro no livro.

    Livro se tornou uma trilogia de igual sucesso, nas mãos de Coppola

    Se a princípio ele pretendia fazer carreira independente dos negócios mafiosos de sua família, aos poucos ele vai sendo movido para o posto de sucessor de seu pai. E o motivo fez dessa história um novo clássico: após um atentado frustrado contra Don Corleone, Michael vê que é o único que pode matar quem ameaça seu pai, e que se não o fizer, Don Corleone será morto.

    Para salvá-lo é que Michael entra na carreira de mafioso e dá o primeiro passo, sem regresso possível, no caminho de suceder o pai como o padrinho de tantos afilhados.

    Todo o sucesso dessa empreitada entre pai e filho pode ser resumido pelo episódio da morte de Don Corleone. Ele sobrevive às ameaças de assassinato, e morrerá anos depois, pacificamente, segurando a mão de Michael. Suas últimas palavras serão: “a vida é tão bonita”.

    INÍCIO DA TRILOGIA NO CINEMA


    FINAL DA TRILOGIA


    _____________________________

    UM MILAGRE DA CRIAÇÃO

    Rubens Filho

    Eis um livro cujo filme - no caso a trilogia - é tão bom quanto. Para mim, a história ficou como que tatuada na minha mente. Tudo nos três filmes funciona, luz, câmera, roteiro, cenários, atores, direção... É um desses milagres da criação artística.

    Alguns trechos dos diálogos são muito fortes. Lógica 'siciliana'; à moda deles, carregada de sabedoria. Selecionei alguns abaixo:

    - "O poder desgasta quem não o exerce".

    - "Nunca odeie seus inimigos. Atrapalha o raciocínio".

    - "Quem depende de pessoas, depende de sombras".

    - "Nunca diga a ninguém que não seja da família o que está pensando".

    - "A política e o crime são a mesma coisa".

    - "Quanto mais alto chego, mais injustiça vejo. Se existe justiça, não há de ser neste mundo".  

    - "Deixe que seus amigos subestimem suas qualidades e que seus inimigos superestimem seus defeitos".


    - "Um homem que não se dedica à família jamais será um homem de verdade".

    - "Um advogado com uma pasta pode roubar mais que mil homens armados".

    - "Mulheres e crianças podem ser descuidadas, homens não".

    - "Mantenha seus amigos por perto e seus inimigos mais perto ainda".

    - "Se há algo certo nessa vida, se é que a história nos ensina alguma coisa, é que se pode matar qualquer um".

    - "Os homens mais ricos são aqueles que possuem os amigos mais poderosos".

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Denúncias podem ser feitas diretamente à Prefeitura

    A denúncia abaixo chegou ao Amigos de Pelotas

    A leitora G. pede que avisemos à Secretaria de Educação de Pelotas sobre suposta irregularidade, descrita no texto. 

    Sugiro a ela e a outros leitores que encaminhem suas denúncias diretamente à Prefeitura, através do Portal da Transparência, que possui uma área Fale Conosco.

    Acesse o portal - aqui.

    Certamente as mensagens serão encaminhadas à Secretaria de Transparência e Controle Interno, dirigida por Hilda de Souza, cuja equipe atua no sentido de impedir irregularidades internas.

    Se forem confirmadas, a promessa do governo atual é de coibi-las.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Comentário da hora: Recado de Leite para Ornel

    "Talvez o vereador Ornel (Ademar, presidente da Câmara) não esteja satisfeito porque ele não está entre os os quais me aconselho [...] Não vão conseguir me desestabilizar. Tenho convicções fortes de como administrar - e assim será feito".

    Eduardo Leite, prefeito, comentando declaração de Ornel de que Pelotas tinha três prefeitos - Leite, Paula Mascarenhas e Hilda de Souza, em entrevista ao programa 13h desta quinta (22)

  • Flagrantes da cidade: "Primavera"

    Que o inverno se vá. Estamos prontos para a primavera. Foto tirada em 2008, na rua Sete de Setembro, entre Quinze e Andrade.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Plano de voo. Por Bruna Lombardi

    Clark Gable, galã

    Cobri aquele homem de uma tesão incontrolável

    depois me mandei, mudei de hotel

    leviana como sempre

    rasguei sem ler as cartas, eu não me importo

    com o sofrimento de ninguém


    Dias atrás passou por mim, fiz que não vi

    uma preguiça de explicar a vida

    difícil resumir.


    Fui impulsiva e me afastei pra sempre

    de sua cama.

    - Temos nossas diferenças - eu lhe disse uma manhã.


    Difícil se acostumar a conviver

    com alguém que usa pijama

    e fica olhando pra gente

    com cara de galã.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • "Divulgaremos todas informações da Prefeitura, pois queremos que população nos fiscalize", diz Leite


    Atualizado às 14h28 (fim)

    Prefeito Eduardo Leite e equipe apresentaram no final da manhã desta quinta (21) o novo portal da Transparência da Prefeitura. Estavam presentes também a vice-prefeita, Paula Mascarenhas, a secretária de Transparência e Controle Interno, Hilda de Souza, dentre outras autoridades. O representante do Tribunal de Contas da Região esteve lá.

    Acesse o portal - aqui.

    O portal começou a ter, a partir das 9h de hoje, navegação mais fácil pelas informações, que passam a ser oferecidas também em maior volume e detalhando dados, para o completo entendimento do material pesquisado pelo cidadão. O site não exige senha e vai armazenar informações desde o ano de 2010. Estão lá dados sobre execução orçamentária, empenhos, diárias e todos os outros gastos realizados pelo Poder Público. Toda informação de interesse público será publicada no portal.

    Novas ferramentas do site: menus de rápido acesso, facilitando a busca por seções, como as perguntas frequentes, glossário, fale conosco, destaques e mais acessados.

    Recado aos "adversários"

    Disse o prefeito: "Mesmo sabendo que eventualmente algumas das informações que iremos publicar no portal possam vir a ser usadas por adversários contra nós, vamos publicar tudo, literalmente tudo, pois o acesso pleno ao que se passa no poder público é direito da população e dever legal. Luto por isso desde 2009, quando me tornei vereador. Prefiro responder à Câmara sempre que preciso do que não ter de fornecer informações a fundo".

    Segundo Leite, o portal "atende aos requisitos de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, exigidos das Administrações públicas no Brasil."

    "O portal segue a legislação, permitindo a todos os cidadãos o controle social de todos os atos oficiais, podendo monitorá-los e fiscalizá-los", insistiu o prefeito. 

    Ausência de Ornel

    O presidente da Câmara, Ademar Ornel, não esteve presente à cerimônia, ocorrida no salão nobre da Prefeitura. Foi representado pelo vereador Salvador Ribeiro.

    Outro recado aos "adversários"

    O prefeito aproveitou o momento para enviar outro recado indireto a alguns vereadores que reclamam de que o Executivo não está respondendo a pedidos de informações oficiados pela Câmara.

    "Não é verdade que não estejamos respondendo. Para se ter ideia, uma comparação. Em todo o ano de 2012, a Câmara solicitou da Prefeitura (administração Fetter) 70 pedidos de informação. Neste ano, na atual Administração, só no primeiro semestre nós respondemos a 120 pedidos de informação da Câmara. E estamos buscando atender cada um deles".

    "Insisto nesse ponto porque andam dizendo que estamos sonegando informações. Isso não é verdade. Por sinal, oficiei à Câmara perguntando qual pedido não foi respondido. Não recebi resposta até agora. Uma pena, pois se houve de fato algum problema eu gostaria de responder ao que foi pedido".

    Primeira página do portal da Transparência

    Sociedade cobra transparência

    Leite acrescentou:

    "O que é público deve estar à disposição de todos. As recentes manifestações populares reclamaram, entre outros pontos, da falta de informações e de respostas com ações imediatas, reclamaram da burocracia, que atrapalha e irrita. Não há desculpa para agir assim, sobretudo hoje em dia, com os recursos tecnológicos disponíveis, que nos possibilitam uma transparência pública nunca vista. Meu interesse é que sejamos controlados. Cada cidadão deve exercer o papel de fiscal. Quero, sendo o caso, que apareçam denúncias para que possamos impedir problemas".

    Restrições técnicas eliminadas

    Servidor da Coinpel, Eduardo Carpena, um dos responsáveis pela modernização do portal da Transparência, mostrou algumas inovações. 

    O primeiro avanço visível é a facilidade de trânsito e acesso às informações. 

    Os entraves técnicos que, na versão anterior do portal, dificultavam ao internauta chegar aos dados desejados, fazendo-o frequentemente desistir, foram eliminados. 

    Um exemplo: antes, ao procurar qualquer dado, o internauta deveria pesquisar em períodos de sete dias no máximo. Essa limitação restringia a pesquisa e obrigava o usuário a "adivinhar o período referente ao que estava interessado em descobrir". 

    O novo portal eliminou o limite temporal de sete dias. O internauta poderá pesquisar qualquer informação por até 365 dias. Digamos que pesquisa sobre diárias. Após um clique, uma lista de diárias de um ano inteiro aparecerá na tela, com gráficos por secretaria, nome de quem tirou a diária, valores etc.

    O segundo avanço visível é o volume de informações, maior do que na versão anterior do portal. O site desce aos detalhes dos dados, abrindo ao máximo os conteúdos oficiais para o conhecimento público.

    Como um todo, na forma e conteúdo, pode-se dizer com segurança que o portal da Transparência atual é inédito. 

    O prefeito finalizou dizendo: "O portal não contém todos os recursos de que precisamos. Pode ser aperfeiçoado, pois isso é um processo permanente, em interação com a sociedade. Por isso, peço desde já aos pelotenses que analisem o portal, reclamem se encontrarem dificuldades e que nos informem, para que possamos melhorar continuamente".

    Hilda de Souza e Paula Mascarenhas

    Evitar problemas com Tribunal de Contas

    A secretária da Transparência e Controle Interno, Hilda de Souza, responsável principal pelo portal, lembrou que um dos objetivos centrais de sua pasta é contribuir para manter os gestores dentro da lei, evitando problemas com os Tribunais de Contas.

    A divulgação das informações de todas as secretarias ao público, em detalhes, deve por si colaborar para que os gestores evitem falhas. Mesmo assim, o setor de Hilda produziu e apresentou hoje o Caderno Normativo de Procedimentos e Rotinas Administrativas, espécie de manual de boas práticas administrativas útil às secretarias, administração direta, e indireta, autarquias Sanep, Eterpel e Coinpel.

    "Com este primeiro Caderno de uma série desejamos que os servidores e gestores compreendam todo o processo administrativo e não só a sua atividade. O Caderno traz explicações sobre como devem ser feitas, com base na lei, licitações, contratos, compras etc", disse Hilda. 

    Exemplificando, admitiu: "Temos muito desperdício hoje, por ausência de controle e planejamento e por má distribuição de materiais. Nosso almoxarifado enfrenta problemas de gerenciamento e agora pode e deve evitá-los".

    Leite acrescentou: "Os Cadernos vão ajudar a estabelecer rotinas e procedimentos administrativos tendentes a tornar mais econômicos, eficientes e eficazes os serviços, as obras públicas e a própria burocracia gerencial em Pelotas. Essa primeira edição faz parte de um programa ambicioso a ser desenvolvido ao longo de todo o mandato, confiado pelo voto popular”, afirmou.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Direto do tablet: Ecosul, absurdo & outras

    Atualizado às 11h32

    Rubens Filho

    A decisão da Ecosul de fechar com barreiras fixas os acessos às estradas vicinais na colônia, na região de Canguçu, revolta com razão. Estradas centenárias de terra e cheias de buracos deveriam, por óbvio, ser mantidas abertas a quem quiser por elas circular.

    Forçar os motoristas de caminhão e de carretas a rodar pela BR-392 e pagar o pedágio mais caro do Brasil (R$ 19 até R$ 49 para caminhões, conforme o número de eixos do veículo) é um desses absurdos do capitalismo selvagem - praticado pela Ecosul. O capitalismo não é mal. Mal é o abuso do poder para ganhar mais dinheiro.

    Há produtores de alimentos residentes na área rural que estão sem poder sair com sua produção para abastecer clientes porque as entradas e saídas para a BR estão bloqueadas por guard rail e outras barreiras que travam o tráfego. Ou seja, além de impedir motoristas de tomarem estradas de terra para fugir do alto valor do pedágio, não permitem que os que estão na colônia possam sair para a BR. 

    É um conflito crescente, com poder de combustão alto.

    Caro porque? - Por contrato, o governo federal não pode romper unilateralmente com a concessionária até 2026. O contrato fez parte do primeiro lote de privatização das estradas e, por isso, o pedágio está entre os mais altos do País. Foi firmado com base em índices de reajuste que não previram as boas consequências da estabilização da economia.

    ___________________________

    @ Como entender?

    Nova UFPel anunciou que iria fundir as três fundações de apoio à Universidade numa só. Delfim Mendes da Silveira, a misteriosa, seria fundida com a escandalosa Simon Bolivar e a dona de si FAU. Agora a reitoria fala em apoiar a criação de uma associação só da FAU e estabelecer "novas relações com ela".

    Ornel defende que prefeito aceite indicações de vereadores para cargos de confiança

    @ Cabo-de-força "chato"

    Marcada para 14h desta sexta, na Prefeitura, reunião entre prefeito Eduardo Leite e presidente da Câmara, Ademar Ornel. Pauta: "Aparar arestas". Na verdade, há um cabo-de-força. De um lado a Prefeitura se nega a presentear vereadores com cargos de confiança, buscando estabelecer uma relação republicana e de independência com o Legislativo. De outro, a velha Câmara lutando para manter quinhões de poder. Enquanto isso, os temas da cidade ficam em segundo plano. Não seria mal se, iniciada a reunião, Leite convocasse a imprensa para acompanhar o que o vereador tem a dizer. Reunião aberta. Transparência total. (Em tempo: o encontro acabou suspenso, sem data para ocorrer.)

    @ Patriota

    Deu na imprensa: Ministro Antônio Patriota, das "relações exteriores", cobra explicações formais do Reino Unido (pela retenção do brasileiro namorado do jornalista britânico que publicou as denúncias de Edward Snowden no The Guardian). É lindo ver. Mas apenas pró-forma. O Brasil não apita nada na geopolítica mundial. Os poucos "grandes" fazem o que querem, EUA à frente. A ONU que o diga. Patriota tem de reagir. Mas só o faz, digamos, porque é patriota.

    PURO PRAZER 

    [Cena do filme Shine, baseado na vida do pianista David Helfgott]


    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Barreiras da Ecosul provocam conflito com caminhoneiros e produtores rurais

    Vídeo (feito por moradores de Canguçu e publicado no youtube - link aqui) mostra dificuldades enfrentadas por caminhoneiros na região do município de Canguçu. Eles reclamam da Ecosul, concessionária de pedágio na BR-392.

    A Ecosul instalou barreiras para impedir caminhões e carretas de circular por estradas vicinais de terra, algumas delas centenárias, obrigando os motoristas a rodar pela BR e pagar o pedágio, um dos mais caros do Brasil.

    Alguns produtores que moram na zona rural estão sem conseguir entrar ou sair de casa com seus veículos, por causa das barreiras.

    A Ecosul recebeu autorização judicial para instalar as barreiras. A Prefeitura de Canguçu tentou recorrer judicialmente contra o fechamento das vias, mas perdeu.

    Diante disso, o conflito vem crescendo - sem uma solução à vista.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Calamidade para quem? Câmara?

    "Calamidade? Uma maravilha (atual Administração Municipal) é lógico que não está, mas não está pior do que quando o antecessor (Fetter Jr.) deixou. Calamidade está é para alguns vereadores que, parece, não conseguem colocar um só carguinho de confiança (na Prefeitura) - isso talvez seja a verdadeira calamidade, mas é só para esses e não para os contribuintes, pois esses estão aplaudindo".

    Leitor que assina Éder, comentando o post 'Como ler o pensamento do presidente da Câmara?', em que o vereador Ademar Ornel (DEM) diz que a cidade 'está uma calamidade' e reclama 'que o Executivo não aceita cargos de confiança indicados por vereadores'.

    MAIS

    - Como ler o pensamento do presidente da Câmara?

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • O sonho do complexo administrativo

    Prefeitura de Pelotas ocupa, hoje, 216 imóveis - 156 deles são de propriedade do Município. Outros 60 são alugados. Gasto com aluguel mensal: R$ 224 mil.

    Para reduzir o gasto com locação e dinamizar a gestão pública, o prefeito Eduardo Leite e equipe trabalham com duas possibilidades:

    1) Formar Parceria Público Privada para construção de um complexo administrativo que reúna toda a Administração. Nesse caso, a Prefeitura pagaria aluguel por um período de vários anos ao parceiro que realizasse a obra, como ocorre com o Pop Center, shopping popular que abriga hoje os camelôs. O aluguel seria pago ao parceiro construtor por cerca de 30 anos, como pagamento pelo investimento feito. Já os prédios próprios da Prefeitura continuariam a ser ocupados por departamentos, apêndices do Executivo.

    2) Obter financiamento por conta própria para construir o complexo. Esta hipótese é a menos provável.

    * Em ambos os casos, o complexo - se viabilizado - disporia de área pública para ser edificado.

    A construção do complexo não é um compromisso da administração atual, mas um desejo.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Como ler o pensamento do presidente da Câmara?

    Rubens Filho

    Na quinta passada, em entrevista de rádio, vereador Ademar Ornel, atual presidente da Câmara local, fez afirmações marcantes. Elas foram reproduzidas no Diário Popular de sexta (16).

    Como clarão repentino que cega, o democrata foi, na minha opinião, de uma “clareza chocante”. A leitura do conjunto de suas frases revela + do que se lidas isoladamente. 

    Para compreender melhor o quadro, é preciso, também, questionar a que o vereador se refere exatamente quando fala as palavras "Poder", "Fracos" e "Fortes". 

    A seguir, as afirmações do presidente da Câmara:

    - “Jamais nos curvaremos ao Poder”.

    - “Respeitamos aos fracos, mas não tememos os fortes”.

    - “Não tem nenhuma Secretaria (hoje) melhor ou igual à do governo passado (Fetter Jr.)”.

    - “Os cargos (de confiança na Administração) devem ser preenchidos por pessoas comprometidas com o governo e hoje há muita gente que não apoiou Eduardo (Leite, prefeito de Pelotas) na eleição, nos mais variados cargos”.

     “Os vereadores estão preocupados com a situação de calamidade do Município”.

    Após a leitura acima, pergunto-me: Preciso comentar algo? Concluo que não.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Flagrantes da cidade: "Ansioso e sereno"

    Pelotas quadro a quadro

    Ansioso e sereno
    Enquanto a jovem árvore luta para vencer os desafios da adolescência, o eucalipto parece saborear a erva-mate da maturidade. Foto feita na rua Marcílio Dias. (Rubens Filho)

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Seu Boteco, novo empreendimento em Pelotas

    Vida empresarial

    Interior do Seu Boteco (foto), novo empreendimento em Pelotas. 

    O Seu Boteco vai ser inaugurado juntamente com o Shopping Pelotas, em 18 de setembro, daqui um mês. É uma franquia nova da Ambev. Tem um ano de vida e trabalha com todas as linhas da cerveja e chopp da companhia.

    O Seu Boteco é fruto de uma sociedade dos empresários Ebinho Rommel e Jaime Menezes. 

    Mais informações no facebook do Seu Boteco - aqui.

    Seu Boteco vai abrir em 30 dias

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Tapete 'voador'

  • Maria Angélica se recupera de queda em calçada

    Maria Angélica: tropeço e fratura

    Maria Angélica Trindade, de 65 anos, conhecida na cidade por vender bilhetes de loteria e pela simpatia contagiante, recupera-se de uma fratura no úmero - osso lateral externo do braço, na altura do ombro. 

    Em 27 de abril passado, ela tropeçou num buraco na calçada, na esquina das ruas Dom Pedro II com Andrade Neves. Socorrida por populares, foi levada ao Pronto Socorro Municipal na ambulância do Samu. 

    Atendida pelo SUS, Maria Angélica atualmente faz fisioterapia no setor de Traumatologia da Santa Casa. Ela foi mais uma das tantas vítimas do mau estado das calçadas de Pelotas que, em 2008, chegou a provocar a queda da mãe do ex-prefeito Fetter Jr., dona Olenka.

    A manutenção das calçadas é responsabilidade dos moradores das casas, prédios e terrenos correspondentes. Já a fiscalização cabe à Prefeitura.

    Há alguns meses, preocupada com a questão, a Associação de Mulheres de Carreira na Magistratura deu início a uma campanha chamada Calçada Legal. A campanha, porém, infelizmente, não progrediu.

    "Até hoje, com todo o tratamento, sinto dor no ombro", lamenta Maria Angélica, sem abandonar o sorriso.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • "Fachadas"

    Pelotas quadro a quadro

    "Certa casa antiga em Pelotas só tinha mobília e decoração na sala de visitas. Há pessoas que fazem com sua aparência algo parecido, talvez destruídas por dentro ou só preocupadas pela fachada. Uma cidade vazia mantém cenários de ficção, sem vida nem progresso. Esta "casa" da Santa Cruz já não tem habitantes, não recebe visitas nem ladrões, mas sua porta e janela seguem bem gradeadas. Conserva sua numeração, mas o carteiro não entrega mais cartas ali". (Francisco Soto Vidal)

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • A inocência do padre Brown

    Marcos Macedo

    A literatura é uma das formas de felicidade", escreveu Jorge Luis Borges; "talvez nenhum outro escritor tenha me proporcionado tantas horas felizes como Chesterton."

    Como um livro leva a outro, foi assim que Borges me levou a Chesterton.

    "Chesterton afirmou que ninguém nunca havia escrito contos policiais melhores que os de Poe", Borges disse em uma aula proferida em 1978 na Universidade de Belgrano, "mas Chesterton - tenho a impressão - é superior a Poe". Para o mestre argentino, os contos de Poe dependiam de um desenlace fantástico, enquanto os de Chesterton eram também fantásticos, mas tinham solução puramente policial.

    O britânico G. K. Chesterton (1874-1936) escreveu 52 contos de mistério protagonizados pelo Padre Brown, homem pequeno, comum, meigo e incansável, de aparência inofensiva, que por isso mesmo surpreende ao desvendar todo tipo de crime. Como Chesterton colocou na boca de um de seus personagens e bem sintentiza sua obra, os ladrões e assassinos são artistas ardilosos e criativos; o detetive é apenas o crítico.

    No final da aula na Universidade de Belgrano, Borges lamentou o declínio do gênero policial. "Nossa literatura tende ao caótico. Tende ao verso livre  porque é mais fácil que o regular", explicou. "Tende a suprimir personagens, argumentos, tudo é muito vago". E completou: "nestes nossos tempos, tão caóticos, há uma coisa que, humildemente, manteve as virtudes clássicas: o conto policial. Já que não se entende um conto policial sem início, meio e fim".

    Chesterton é um exemplo notável de como, dentro desses limites das virtudes clássicas (início, meio, fim), existem infinitas variações. Seus contos não se encaixam todos num molde igual e pré-definido. Não têm uma fórmula.

    Para o leitor atual, Chesterton às vezes soa ultrapassado, principalmente quando faz crítica social e de costumes. Produzida durante os anos de glória do Império Britânico, sua obra traz temas datados, como por exemplo a rígida hierarquia da época. Nada que retire o brilho das tramas policiais - são elas o que seus contos têm de melhor. Outro destaque são os cenários bem pintados. Ficamos com a impressão que estivemos lá e vimos a cena com nossos próprios olhos.

    A aula de Borges sobre o conto policial foi transcrita junto de outras conferências no livro Borges oral & sete noites, da editora Companhia das Letras. Em 1966 Borges ministrou outro curso com 25 aulas sobre Literatura Inglesa na Universidade de Buenos Aires. Gravado por alunos, foi transformado no livro Curso de Literatura Inglesa, editado no Brasil pela Martins Fontes. Nunca escritor e leitor estiveram tão próximos: ao ler ambos os livros temos a impressão de ouvir a voz e sentir a presença, as reticências e o trejeitos de Borges em sala de aula.

    A inocência do Padre Brown

    G. K. Chesterton

    248 p

    L&PM Editores

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Paula: "Máquinas da Prefeitura estão sucateadas"

    Paula em evento esportivo numa escola, há alguns meses: esperança de gol
    A vice-prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, reconheceu ao Amigos, em entrevista nesta semana, que há problemas de manutenção em várias ruas da cidade, sobretudo na periferia urbana e no Laranjal. 

    Segundo ela, o motivo são o mau estado do maquinário da Prefeitura. Patrolas, escavadeiras e outras máquinas estão estragadas.

    "Estão sucateadas. São muito velhas e, a toda hora, apresentam defeitos. Neste momento praticamente todas estão paradas por isso. Estamos providenciando o conserto delas, para que possam reentrar em operação e melhorar as vias da cidade", explicou Paula.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Mais um barraco de Barbosa

    Barbosa e Lewandowski

    O destemperado presidente do STF foi, em tese, autor de crime de honra ao chamar Lewandowski de chicaneiro 

     Wálter Maierovitch

    Os supremos ministros do órgão de cúpula do Poder Judiciário preferiram manter a tradição da rotatividade e observada a antiguidade e elegeram, para assumir as elevadas funções de presidente do Pretório excelso, o ministro Joaquim Barbosa.

    À época, não faltavam indicativos, prova-provada e até domínio do fato, reveladores de Babosa não possuir a serenidade e a compostura exigíveis para esse difícil e delicado encargo.

    Trocando em miúdos, Barbosa poderia, com o seu comportamento mercurial e desgaste nos freios inibitórios, comprometer a imagem do Judiciário (não do Supremo Tribunal Federal). Em resumo, Barbosa não detinha, e era público e notório, condições nem para mediar, com urbanidade, temperança e aceitação de dissensos, jogos de xadrez de velhinhos reunidos em praça pública de pequena cidade interiorana.

    Na antevéspera da eleição, Barbosa havia protagonizado um bate-boca em que ofendera a honra do ministro Ricardo Lewandowski, em função judicante e como revisor da ação penal 470, apelidada de "mensalão". O pacífico ministro Ayres Brito, então na presidência, exercitou com sucesso o papel de bombeiro-togado e a boa-vontade de Lewandowski permitiu o encerramento do primeiro grande "barraco" promovido por Barbosa, que não gosta de ser contrariado como relator de processos. Esse "barraco" o colocou, perante a população, como herói inflexível e Barbosa passou a pontuar nas pesquisas eleitorais para a presidência da República. Coisas de república bananeira, ou seja, de presidente trapalhão do STF para a presidência da nação.

    Na quinta-feira 15 e quando do julgamento de embargos de declaração apresentados pelo ex-deputado Carlos Rodrigues (PL-RJ), conhecido por bispo Rodrigues, o ministro Barbosa, na presidência da sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF), não aceitou ter o ministro Ricardo Lewandowski admitido um erro no seu voto condenatório.

    Só para recordar, no chamado "mensalão", o bispo Rodrigues, por unanimidade, havia sido condenado, além da sanção pecuniária fixada em R$ 754 mil, às penas de seis anos e três meses de prisão, com cumprimento em regime aberto, por crimes de corrupção passiva e lavagem do dinheiro recebido, no importe de R$ 150 mil.

    Segundo Lewandowski, o crime de corrupção passiva tinha se consumado em 2002 e, portanto, antes da Lei 10763, de 12 de novembro de 2003. Uma lei nova e que elevou as penas. Assim, Lewandowski concluiu ter ocorrido fixação retroativa (vedada pela Constituição da República) e equivocada, por toda a Corte, de lei nova e menos benigna. Diante do colocado, Barbosa, que havia sido relator, e os demais ministros passaram a discutir a questão. Para Barbosa e Gilmar Mendes, por exemplo, o crime se consumara em 17 de dezembro de 2013 quando o bispo Rodrigues, líder regional do seu partido político, recebera, de surpresa e sem acordo prévio com o corruptor, os R$ 150 mil. De surpresa porque o bispo Rodrigues não havia apoiado o candidato do partido dos trabalhadores (PT) no primeiro turno das eleições presidenciais.

    Como se sabe, situações teratológicas e a envolver a liberdade das pessoas, podem e devem ser resolvidas, nos tribunais, até por habeas-corpus de ofício, ou seja, sem anterior requerimento do paciente ou de um cidadão do povo (qualquer pessoas por impetrar um habeas-corpus e não precisa de advogado).

    O próprio Supremo, na sessão de julgamento do dia anterior, havia concedido habeas-corpus de ofício ao réu-embargante Quaglia e para absolvê-lo por atipicidade penal.

    Barbosa insistiu que a matéria levantada por Lewandowski não era pertinente a embargos, que são admitidos para correção de contradições, obscuridades, dúvidas e omissões. Ou seja, como regra, os embargos declaratórios não substituem as apelações e não têm natureza de infringentes.

    Diante do nervosismo de Barbosa em querer encerrar o debate, Lewandowski propôs a suspensão dos trabalhos (era o último da pauta) para que todos refletissem melhor e à luz de um exame mais apurado da correlação entre a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República e o acórdão. Em razão da proposta, que teve receptividade entre alguns ministros, o presidente Barbosa partiu para o ‘barraco’. Quis ganhar no grito e foi autor, em tese, de crime contra a honra ao chamar o ministro Lewandowski de chicaneiro. Pior, Barbosa não quis se retratar. No mundo judiciário, atribuir a um advogado a chicana representa uma das piores ofensas. Agora, a um juiz, vira prevaricação, no mínimo.

    Além da ofensa ao Código Penal e no capítulo que trata dos crimes de injúria, difamação e calúnia, o ministro Barbosa maculou o Poder Judiciário, que o elegeu e mantém na função de presidente um destemperado, para se dizer o mínimo.

    Pano rápido. O presidente Barbosa, que promoveu um espetáculo de gerais de um clássico futebolístico, deveria seguir o exemplo do presidente do Santos Futebol Clube, ou seja, pedir um afastamento, sine die, das funções.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Olhar vazio

    O pecado do excesso

    Orlando Margarido

    Bling Ring – A Gangue de Hollywood talvez seja o filme que mais explicita a temática do vazio de Sofia Coppola. O vazio na vida contemporânea em Encontros e Desencontros, na monarquia francesa em Maria Antonieta e da fama de Hollywood em Em Algum Lugar

    A esse painel do tédio somam-se agora os adolescentes que roubam residências de celebridades de Los Angeles. Eles querem as roupas e acessórios de grife que atores e cantores consomem sem limites. E o pecado do excesso os punirá.

    A história é real e o consumismo, a discussão evidente. 

    Sofia inspirou seu relato em um artigo da Vanity Fair. 

    As entrevistas chegam a ser ficcionalizadas no filme, que avança para a prisão e julgamento da gangue. 

    A diretora recompõe os lares classe média dos jovens e nos faz crer em certa disfunção de valores. Mas, ao se manter isenta, esvazia seu olhar de sentido e crítica. Um risco que pode se equiparar à banalidade juvenil que quer retratar. (De Carta Capital)

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Histórias da vida médica: "Dulcinéia"

    Rubens Filho

    Uma médica entrou no quarto de uma paciente do SUS, seguida por alguns de seus alunos.

    A enferma era uma mulher de meia idade, pobre, muito pobre, sem alguns dentes. Dona Dulcinéia, que se recuperava, seria motivo de atenção da médica. Já o contato entre a professora e a paciente serviria para a observação dos estudantes.

    Quando estavam todos no quarto, o celular da doutora Denise tocou. Ela pediu licença para atender a ligação. Antes de deixar o quarto, perguntou aos seus alunos, todos muito jovens, quem seria, na breve ausência dela, o "primeiro cavalheiro que se aproximaria de Dulcineia" para dar início à visita.

    Os alunos ficaram imobilizados, sem compreender o que a professora tentava dizer a eles. Fechando a porta do quarto, a médica recomendou então que eles procurassem no Google, em seus celulares, quem era Dulcinéia. Quando voltou, encontrou-os sorrindo.

    "Viram na internet?"

    Eles responderam que "não", pois "a própria paciente havia revelado quem 'era Dulcinéia' ".

    ____________________________

    Dulcinea, cuidadora de porcos, agricultora de enxada, analfabeta e mulher de "vida fácil", musa inspiradora e personagem famosa do livro Dom Quixote de La Mancha, obra máxima de Cervantes.

    ____________________________

    * A história acima é verdadeira. Relatada por um amiga médica que trabalha em SC. Dias depois do momento acima, ela comprou edições de Dom Quixote e presenteou seus alunos com elas.

    ***

    Na cena abaixo, em um filme de 1973, Dom Quixote encontra sua Dulcinea.

    Depois de ler muitos romances, Quixote está louco. A loucura se torna mais rica do que a realidade, e ele a vive intensamente.

    Quixote, um chacreiro que invocava a nobreza de antepassados, encontra Dulcinea. 

    Ele a enxerga como sua musa inspiradora, seu ideal de amor para além do prazer carnal, e diz a ela palavras belíssimas.

    Cena boa de ver quando estamos descrentes do ser humano.


    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Em nota, Prefeitura desmente término do Ensino Médio no Colégio Pelotense

    A nota (que demente o boato)

    ____________________________

    Em resposta aos boatos e matérias que tem sido veiculadas em meios de comunicação locais sobre a intenção da prefeitura de Pelotas de terminar com o Ensino Médio do Colégio Municipal Pelotense, a vice-prefeita Paula Mascarenhas é categórica:

    “Nunca o governo municipal sequer cogitou esta possibilidade e não o fará. O Colégio Pelotense é parte do patrimônio  imaterial do Município e o Ensino Médio daquela escola é tradicional. A prefeitura não só pretende mantê-lo como também qualificá-lo ainda mais”.

    Paula recorda, por outro lado, que o Ensino Médio é responsabilidade do governo estadual e o Ensino Fundamental, do governo municipal. Por isso, o foco da Administração é o aumento de vagas no Ensino Fundamental, “até mesmo para suprir as vagas que estão sendo reduzidas, gradativamente, nos educandários geridos pelo Estado”, diz.

    A vice-prefeita recorda, também, que o Tribunal de Contas tem feito apontamentos no sentido de não reconhecer os esforços do Município na educação do Ensino Médio. 

    “De acordo com a Constituição Federal, os governos municipais tem que dedicar 25% de seu orçamento à área da educação, destinados ao Ensino Fundamental e pela nossa lei orgânica municipal o gasto ainda vai além. De modo que é no Ensino Fundamental que vamos buscar o aumento de vagas”, salienta.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Poesia e beleza em Lord Byron

    "Há várias traduções para o poema de Lord Byron (aqui postado em texto e vídeo). A de que mais gosto é a do vídeo. Acredita-se que foi inspirado pela visão de uma tal Lady Wilmot Horton, em um baile de época".

    Otavio Borio Dode

    ______________________________

    ELA CAMINHA EM BELEZA

    ( Tradução por Wagner Primo)

    Ela caminha em beleza como a noite

    De clima sem nuvens e céu estrelado;

    E todo a perfeição da escuridão e da luz encontra-se

    Em seu semblante e seus olhos

    Dessa forma enternecida até esta luz suave

    Que o céus ao dia fúlgido negam.


    Uma sombra a mais, um raio a menos

    Teria parcialmente danificado a indescritível beleza

    Que ondula em cada negra trança de seu cabelo

    E ternamente brilha em seu rosto;

    Onde os pensamentos serenamente expressam 

    Quão puro, quão querido é o lugar que habitam.


    E nessa face, e sobre essa fronte

    Tão gentil, tão suave contudo eloqüente,

    Jazem o sorriso que conquista, as cores que dardejam

    Mas que falam de dias em benevolência passados

    Uma mente em paz com tudo

    Um coração cujo amor é inocente.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Prefeitura terá novo Portal da Transparência

    Hilda de Souza: contribuição à sociedade

    Atualizado às 9h40 de 17/08

    No próximo dia 22 deste agosto, às 10h, no Salão Nobre do Paço Municipal, prefeito Eduardo Leite vai apresentar o novo Portal da Transparência. 

    O portal, localizado no site do Executivo, passará a oferecer à população e à imprensa, com maior clareza e objetividade, dados referentes à administração pública.

    No mesmo evento, Leite vai apresentar o primeiro número de uma série do Caderno de Orientações Técnicas - Procedimentos e Rotinas Administrativas.

    O portal o Caderno são de responsabilidade da Coordenadoria de Transparência e Controle Interno, dirigida por Hilda de Souza.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Pacto

    entre o teu signo e o meu

    existe uma possibilidade

    de veneno

    umas tintas de vermelho

    meu moreno

    ***

    e se a paixão há de ser provisória

    que seja louca e linda

    a nossa história.

    Pacto. Por Bruna Lombardi

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Enquete: qual prefeito pelotense você enviaria para viver em Marte?

    Qual desses prefeitos você indicaria para obter uma vaga na nave que levará humanos para viver, para sempre, em Marte?

    - Anselmo Rodrigues

    - Fernando Marroni

    - Fetter Jr.

    - Eduardo Leite

    - Irajá Andara Rodrigues

    Deixe seu voto na coluna da direita, logo aí no alto.

    _____________________________

    Resultado da enquete anterior

    A presidente Dilma recuperou parte da avaliação positiva de seu governo nas pesquisas e também da intenção eleitoral. Em 2014:

    Dilma se reelege no primeiro turno - 31 %

    Marina Silva vai disputar segundo turno com Dilma - 19 %

    Eduardo Campos vai disputar segundo turno com Dilma - 19 %

    A presidente não irá ao segundo turno - 19 %

    Aécio Neves vai disputar segundo turno com Dilma - 13 %

    Foram registrados 823 votos.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Servidor da Prefeitura ferido por bala perdida

    Juliano Silva, da Rádio Pelotense, informa:

    Servidor público vítima de “bala perdida” 

    Na noite desta quarta (14), por volta das 20h, um servidor público municipal de 24 anos foi socorrido no Pronto Socorro. 

    No depoimento à Polícia, relatou que trabalhava no parque Dom Antonio Zattera quando, de repente sentiu desconforto no pé direito. Olhou e viu que estava ferido.

    No PS, descobriram que o ferimento havia sido provocado por projetil de revólver calibre 22. O agente público não sabe a origem do disparo nem ideia de quem seja o autor.

    Fruteira assaltada no centro de Pelotas

    Na noite desta quarta (14), por volta da 20h, uma fruteira foi assaltada na rua Dom Pedro II - centro de Pelotas. De acordo com a proprietária, dois homens armados com revólveres roubaram R$ 500 em dinheiro. A dupla fugiu numa motocicleta.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Prefeito de Florianópolis mantém decreto que proíbe contratação de médico estrangeiro sem Revalida

    Cesar Souza, direita, durante reunião com médicos

    O prefeito de Florianópolis, César Souza Jr., mantem decreto, de número 11.945,  que proíbe a contratação ou atuação de profissional médico com diploma de graduação expedido por universidades estrangeiras, na capital catarinense. O decreto foi publicado no Diário Oficial dia 7 deste mês.

    "Ficamos muito satisfeitos com o posicionamento do prefeito. Mostra que tem preocupação com a qualidade do atendimento aos pacientes florianopolitanos. Ratificamos que não somos contra a contratação de médicos formado no exterior, desde que façam a prova do Revalida para aferir seus conhecimentos", afirma Cyro Soncini, presidente do Sindicato dos Médicos de SC e coordenador do Conselho Superior das Entidades Médicas.

    De acordo com Cyro, o Conselho orientou os dirigentes das regionais médicas do Estado a usarem a ação dos médicos da capital como exemplo. 

    "A orientação é que cada um procure seu prefeito, entregue um documento com as justificativas, como fizemos na capital, para sensibilizar os gestores públicos do absurdo que o governo federal está tentando impor aos pacientes. Por que é do interior, por que mora em região de difícil provimento, pode mandar qualquer um lá para cuidar? E a lei? Não se aplica mais a lei nesse País? Médico aprovado no Revalida, com CRM válido é muito bem-vindo. Do contrário, lutaremos contra", destacou.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Concursos prorrogados em Pelotas

    Prorrogados concursos

    Com assinatura do prefeito Eduardo Leite, o edital de nº 061/2013 prorroga o prazo de validade de concursos públicos da prefeitura realizados em 2011, abertos pelo edital nº 011/2011 e homologados em 15 de agosto do mesmo ano.

    Conforme o documento, publicado em jornal local de hoje (14/08/2013), a data de vigência dos seguintes cargos passa a ser 15 de agosto de 2015: agente fiscal (nº 03), monitor de escola (nº 07), auxiliar de Educação Infantil (nº 11), técnico agrícola municipal (nº 14), técnico em Química (nº 17) e técnico em Segurança do Trabalho (nº 18).

    Quebra-molas na avenida Amazonas

     A Prefeitura concluiu hoje (14) a implantação de dois quebras-molas na avenida Amazonas, no balneário dos Prazeres. Localizadas na entrada da avenida Adolfo Fetter, nos dois sentidos daquela via, as lombadas já contam com sinalização horizontal e vertical. A construção do quebra-molas foi a solução encontrada para um antigo problema daquela localidade, com relação ao grande número de acidentes provocados pelo excesso de velocidade dos veículos na entrada do Balneário. A providência foi pedida pelos moradores do Balneário, em audiência pública do Plano Plurianual (PPA), no início do mês de julho, no Laranjal.

    Caravana da Arquitetura em Pelotas

    De 16 a 18 de agosto, o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB/RS) e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) realizam, em Pelotas, a Caravana da Arquitetura. Evento terá atividades de interesse dos profissionais e da sociedade sobre o tema Contexto e Práticas Locais. Aberto à participação de todo interessados - e gratuito. Começa às 19h do dia 16, com a palestra Pelotas: patrimônio, dinâmicas e sistemas de espaços, apresentada pelo arquiteto Otávio Peres, professor e presidente do Núcleo IAB/Pelotas. Atividade conta com a participação do arquiteto Tiago Holzmann da Silva, presidente do IAB gaúcho (como mediador) e da professora arquiteta Laura Zambrano, como debatedora. Local: Instituto João Simões Lopes Neto. Para encerrar a noite, os arquitetos participam da inauguração da exposição 20 anos de P8: Técnicas Retrospectivas, Projeto Arquitetônico Urbanístico”. No sábado, dia 17, a programação inicia às 10h, com a palestra Arquitetura como expressão cultural, no Instituto João Simões Lopes Neto. O palestrante será Jeferson Navolar, presidente do CAU/PR, ex-presidente do IAB-PR e membro do Conselho Nacional de Cultura; o debatedor será o presidente do Núcleo IAB/Pelotas, Otávio Peres. Às 15h os participantes realizarão um "Percurso Intraurbano", que inicia nas Obras de Restauração da Estação Férrea e acaba na Praça Coronel Pedro de Osório. O dia encerra com confraternização no Laranjal, às 19h. No domingo, 18, às 10h, ocorre passeio de barco pelo Canal São Gonçalo. Arquitetos visitarão confeitarias de Pelotas, concluindo a programação.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Ovelhas desgarradas também são filhas de Deus

    Rubens Filho

    De sexta para sábado durmo muito tarde, por vezes depois de os galos cantarem. Gosto da mansidão noturna. Meu pensamento vai longe. Há pouco, observando da janela do apartamento o manto de luzes que cobre a cidade, imaginei que as estrelas estavam todas no chão. E viajei na fantasia de ter o mesmo ponto de vista de Deus quando ‘olha lá de cima para sua criação’.

    Outro dia reencontrei um amigo dos anos 80, psicólogo e poeta. Num boteco daquela década, ele falou: "Se Deus criou o universo, teve antes de criar o espaço, para então ir colocando coisas nele, a Lua, o Sol, os planetas etc. Como posso entender que Deus existisse antes de existir o espaço?”

    Agora são duas e pouco da madrugada. Não pretendia voltar a escrever, mas fui levado a fazê-lo por causa de uma pastora que acabo de ver na tevê. Diante de seu neurótico gestual e de suas palavras vomitadas como placas de chumbo determinadas a salvar a alma dos telespectadores do fogo do inferno, pergunto-me se ela algum dia se fez a pergunta do meu amigo.

    A primeira vez que minhas convicções vagamente cristãs foram abaladas, eu adolescia. O ‘culpado’ foi um tio. Ele tinha um tumor inoperável no cérebro. Falava com dificuldade, fumando cigarros Hilton, um atrás do outro. Numa festa de família, seu filho e eu discutíamos a existência ou não de Deus. Segurando um copo de conhaque em uma das mãos e o cigarro na outra, o tio apartou a contenda. Pausadamente, dificultado pelo tumor, falou: "Mesmo que Deus exista, tudo aqui na Terra se passa como se ele não existisse".

    Num livro de Sartre que li anos depois, um trecho dizia que "nada pode salvar o homem de si próprio, nem uma prova válida de que Deus exista". Nas suas obras, Kafka falava algo parecido: "Há salvação, só não para nós".

    O problema de ato de questionar é que quando o começamos nunca mais nos livramos dele. Por causa do tio, dos livros que li e das vivências que tive, passei a suspeitar de tudo, até de mim mesmo, embora a esta altura da vida já não me leve a sério demais. 

    Eu não sei se Deus existe ou não. Na verdade, depois que me acostumei a conviver com dúvidas, para mim, não faz diferença. Minha certeza quanto à paternidade divina (seria maternidade?) é a de Sartre. Como não escolhemos nascer, fomos ‘condenados’ à vida. Não a qualquer vida, mas a uma vida desprovida de confirmações definitivas, o que, se por um lado exaspera o coração, por outro torna a existência mais interessante. Contudo, noto que poucos toleram a dúvida. A maioria se agarra a tábuas de salvação, embora precárias, como o discurso da pastora, pronunciado como cintilantes golpes de faca contra a madrugada.

    O que me causa estranheza é constatar até onde os humanos são capazes de ir com suas ‘certezas’. 

    Sinto uma espécie de aflição quando vejo pela tevê aquela multidão de adultos de olhos fechados e braços erguidos aos tetos dos templos, guiados por pastores que parecem, paradoxalmente, possuídos pelo demônio. Lembro-me do Nazismo, do pastor Jim Jones e seu rebanho suicida, dos homens-bomba de Bin Laden e coisas parecidas. 

    Fico chocado ao verificar que, mesmo com todo conhecimento produzido, continuamos vulneráveis à ação de místicos pregadores, como se fossemos crianças, com medo de pensar por conta própria e de aceitar a vulnerabilidade da condição humana.

    Resumindo: se é verdade que fomos criados a imagem e semelhança de Deus, sou levado a concluir que Ele não era lá muito perfeito.

    Para ser sincero, tendo a acreditar que, pela grandeza da obra, era inclusive do sexo feminino. Não sei também se Ela era branca ou negra, nem a orientação sexual, se é que Deus era dado (a) a essas inquietações. O que desejo dizer é que, se Ela ou Ele não eram perfeitos, não podem ter criado o universo, nem respirado antes de existir o espaço e as atmosferas. Quem criou tudo então? 

    O ideal é que a resposta me chegasse antes de os galos sacudirem as cristas e cantar. Porque, quando o fizerem, a mansidão noturna terá ido embora, levando com ela todas as perguntas sinceras que só conseguimos fazer quando as estrelas parecem espalhadas pelo chão.

    * Esta crônica está no livro Drops de menta.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Criminalidade assusta em Pelotas

    Do jornalista Juliano Silva, da rádio Pelotense:

    Jovem sofre atentado a tiros

    Na noite desta terça (13, por volta das 23h, um jovem sofreu um atentado a tiros na avenida  Bento Gonçalves – centro de Pelotas.

    O rapaz, de inicias W.B, de 23 anos de idade, contou que estava lanchando no interior do seu automóvel quando dois homens fizeram disparos do interior de um veículo em movimento. O jovem não foi ferido. O caso vai ser apurado pelos agentes da Delegacia de Homicídios.

    Farmácia assaltada no centro

    Na mesma noite da terça (13, por volta das 20h, uma farmácia foi assaltada – no centro de Pelotas. De acordo com o gerente do estabelecimento, dois homens armados com revólveres entraram no local e anunciaram o roubo. Mediante ameaça, a vítima entregou 600 reais em dinheiro aos criminosos. A dupla fugiu a pé.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Anunciada montadora de caminhões em Guaíba

    Tarso e empresários

    O governador Tarso Genro e o secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Mauro Knijnik, assinaram protocolo de intenções com a empresa Foton Aumark, para construção de uma fábrica de caminhões, em Guaíba, com investimento previsto de R$ 250 milhões.

    "Alteramos o sistema de incentivos no Estado, o que nos permitiu fazer essa negociação. Sob o ponto de vista estratégico, o Rio Grande do Sul é a melhor opção para a Foton. O valor do investimento tem uma dimensão maior pelos efeitos que produz no conjunto da economia a partir da base produtiva a que se associa", destacou Tarso.

    Para Knijnik, que liderou a negociação com a empresa, a cadeia automotiva gaúcha deverá ser reforçada com este projeto. "A Foton deve gerar uma onda de investimentos chineses que se localizarão no Rio Grande do Sul para fornecer a ela e a terceiros", disse.

    O presidente da Foton Aumark, Luiz Carlos Mendonça de Barros, tem avaliação semelhante. "Iniciaremos uma nova fronteira industrial no Rio Grande do Sul. Este é o primeiro grande investimento chinês do setor automotivo no Brasil e a Foton é a maior indústria de caminhões do mundo", ressaltou, ao elogiar a atuação da Sala do Investidor do Governo gaúcho na condução do processo. "Nos outros Estados não existe nada parecido e foi muito importante para a definição do projeto.”

    Fábrica

    Inicialmente, a unidade importará cerca de 3 mil caminhões, conforme cota estabelecida pelo programa Inovar Auto, do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). A partir de 2015, os caminhões serão produzidos na fábrica em Guaíba, com progressiva nacionalização até atender a exigência de 65%, o que deve ocorrer em 2017.

    Os modelos a serem fabricados no RS terão de 3,5 toneladas até 24 toneladas, com capacidade de produção anual de 21 mil unidades ao ano. Após 2018, o projeto prevê a instalação de fornecedores e ampliação da capacidade para 50 mil veículos anuais.

    A planta atenderá ao mercado local e exportações para a América do Sul e África. A fábrica deverá ser construída entre 2013 e 2015 e será instalada em um terreno de 150 hectares. Para os fornecedores, será reservada uma área de 500 mil metros quadrados. O início da produção está previsto para o segundo semestre de 2015 e deve ocupar cerca de 300 trabalhadores.

    A Foton Aumark do Brasil Ltda. é a representante exclusiva no Brasil da Beiqi Foton Motor Co. Ltd (Foton) para a linha de caminhões acima de 3,5 toneladas. A Beiqi Foton Motor (Foton) tem sede em Changping District, Beijing (Pequim) e mais nove unidades fabricantes de peças e veículos na China. O grupo tem faturamento anual de US$ 65 bilhões, aproximadamente 40 mil funcionários, vendas anuais de 650 mil unidades e 11 marcas: Auman, AUV, Aumark, Midi, Vista, Saga, Ollin, SUP, Tunland, Forland e joint venture com a Cummins e Daimler.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Fidel Castro faz 87 anos afastado dos holofotes

    Líder da revolução cubana deixou o governo em 2006, passando a se dedicar a cultivos alimentares e navegar na internet

    Fidel Castro: imagem de 2012

    HAVANA (AFP) - Afastado das tarefas do governo e dos microfones desde 2006, Fidel Castro completa 87 anos nesta terça-feira 13 dedicando-se a testar cultivos para melhorar a alimentação dos cubanos, navegar na internet e, eventualmente, a receber líderes estrangeiros.

  • Puro prazer, Jane e Tarzan

  • "Realmente é difícil de entender"

    De Adão Jr., comentando o post Queremos ser uma voz amiga da cidade

    A diferença dos quadros de pessoal (das Prefeituras de Caxias e Pelotas) é realmente difícil de entender. Caxias (5 mil servidores) não apenas é mais rica, como também tem bem mais habitantes 435 mil contra 328 mil em Pelotas (8 mil servidores). E se Pelotas é centro de uma região com meio milhão de pessoas (577 mil na Aglomeração Urbana do Sul), Caxias é centro de uma região com mais de 700 mil (716 mil na Aglomeração Urbana Nordeste, que esta virando região metropolitana). O fato é que ainda assim faltam funcionários onde se precisa. É difícil aceitar a pobreza da nossa infraestrutura e conviver com estatais que cidades maiores que Pelotas não podem se dar o luxo de ter.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Queremos ser uma voz amiga da cidade

    Rubens Filho

    Atualizado às 21h53

    No começo de 2013, após quatro anos e meio da vida, o Amigos de Pelotas adotou a plataforma de site, passou por uma reforma gráfica e, ponto principal, adotou uma nova linha editorial.

    Naquela fase inicial fizemos um trabalho forte de crítica ao Poder Público e de denúncias de irregularidades, inclusive no setor privado que lida com verba oficial. 

    Deu-se a química com o leitor. Obtivemos grande audiência (5 milhões de visitas em cinco anos), reconhecimento e quatro prêmios nacionais. Em 2011, o Amigos, generosamente, foi eleito pelos internautas o melhor blog-site do País na categoria Notícias e Cotidiano do Top Blog Brasil. 

    Após essa etapa de quase cinco anos, e de enorme aprendizado, avaliamos que era hora de fechar um ciclo e nos abrir a outro, o atual.

    A partir de 2013 substituímos a contundência da crítica por uma visão propositiva, tentando evoluir para a busca de soluções, para a tentativa de compreender nossos temas, sem exacerbar paixões, com base no diálogo. Se a verdade pode ter várias faces, igualmente pode-se dizê-la de muitas formas. É o que estamos exercitando agora.

    Nossa experiência dos primeiros anos provou-nos que não há milagres possíveis na esfera pública municipal. Assim, a nossa indignação cívica inicial cedeu lugar à compreensão de que não adianta creditar a 'culpa' de todos os problemas da cidade à administração local. 

    Ela, Administração, tem problemas? Claro, mas, com a sua estrutura atual, pesada e com baixa receita própria, é impossível que a Prefeitura, por si, equacione várias questões. 

    Repito uma comparação que mostra isso: enquanto, por exemplo, a Unimed gasta R$ 5 milhões por mês para atender 50 mil pessoas, a Prefeitura dispõe de R$ 8 milhões para atender cerca de 500 mil pessoas no mesmo período. Com base nisso, pergunto: dá para resolver os problemas da saúde em Pelotas no nível que a população merece? Obviamente, não. 

    Outro dado nesse mesmo sentido: Pelotas possui 8 mil servidores. Caxias, muito mais rica do que nós, tem 5 mil servidores - 3 mil pessoas a menos no quadro. Como pode isso?

    Quer dizer que a Prefeitura, diante das questões, deve lavar as mãos? Óbvio que não. Algo pode fazer, mas, sem recursos e com sua estrutura de pessoal inchada e um caixa famélico, poderá fazer muito pouco, inclusive porque os recursos federais e estaduais não chegam no volume que deveriam chegar, se respeitassem a Constituição Federal, sequer para a área da Saúde. 

    Essa é a dura verdade – e não adianta demonizar o poder público por algo que não pode solucionar sozinho. Isso, demonizar, é o mais fácil, quase infantil, mera válvula de escape "por a culpa em alguém". Na verdade, cada vez mais a sociedade vai ter de se envolver ela própria com a solução dos problemas. 

    Do ponto de vista jornalístico, a melhor maneira de contribuir é com temperança, mesmo porque a sociedade está saturada de "crítica". Em Pelotas, aceita-a, por certo, mas desde que as abordagens não satanizem ninguém, pois isto é também um filme inócuo.

    Quem aposta no caos o faz por comodismo, má índole ou mesquinhos interesses políticos.

    O Amigos de Pelotas, que já foi excessivamente crítico, tem sido, a partir de 2013, uma voz amiga no sentido construtivo (à procura sempre do bom senso). Esse é o nosso espírito. Quer dizer que nunca mais criticaremos? Não. Quer dizer que, antes de criticar, será preciso analisar o quadro geral e apresentar os assuntos com a complexidade que necessitam para um entendimento mais profundo, e justo, das questões.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Passageiros protestam contra Feliciano em voo

    Passageiros que estavam no mesmo voo do presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, deputado Marco Feliciano (PSC-SP), cantaram a música "Robocop Gay" dos Mamonas Assassinas para o parlamentar. 

    Vídeos com imagens do episódio circulam pelo Youtube.

    Feliciano comentou no Twitter: "É assim que eles fazem, querem respeito mas não respeitam." 

    Por meio da conta @marcofeliciano, o parlamentar também divulgou um vídeo com cenas do ocorrido no voo de Brasília para São Paulo na noite de sexta passada.

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Como entender reação da Câmara e umbandistas?

    Rubens Filho

    O presidente da Câmara de Vereadores de Pelotas, Ademar Ornel (DEM), saindo em defesa de líderes umbandistas e de outras religiões de matriz africana, enviou ao Ministério Público (MP) um pedido de arquivamento de processo que exige a regularização daqueles centros religiosos junto à Prefeitura. Há anos eles funcionam sem qualquer alvará ou licença pública. O pedido de arquivamento foi enviado pelo democrata aos cuidados do promotor Paulo Charqueiro, autor da ação inicial.

    A questão teve início quando o promotor acionou a Prefeitura atual, cobrando desta que explicasse porque os templos de todas as religiões (todas, frise-se, e não apenas as de matriz africana) funcionam sem alvarás do Executivo e demais instâncias públicas em Pelotas, como o Corpo de Bombeiros.

    Em reação ao MP, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Gestão, identificou que Pelotas possui mais de 800 templos religiosos operando, de fato, sem alvarás. Ato contínuo, em respeito ao MP, começou a notificar templos de todas as religiões - católicos, evangélicos, de matriz africana etc., para que obtenham alvará de localização. Esse documento só pode ser concedido pela Prefeitura após os solicitantes terem obtido outros alvarás, como o ambiental e o dos bombeiros, este o principal, por causa da aglomeração de pessoas nos templos.

    O que começou como iniciativa responsável e baseada na lei virou, de repente, sem explicação racional, motivo de “guerra”. Como num filme de Glauber Rocha, tipo O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro, líderes de religiões de matriz africana, como a Umbanda, associaram-se a alguns vereadores, entre eles Ornel, para se contrapor às notificações da Prefeitura e, por conseguinte, à cobrança do Ministério Público. 

    Demonstrando força, há cerca de um mês, em audiência pública na Câmara, convocada por esta para 'debater o tema' com representantes do Executivo e do MP, o plenário ficou lotado de fiéis frequentadores de terreiros e templos africanistas. Se tivesse visto, Lula diria, com segurança: nunca antes nessa cidade viu-se plenário tão lotado.

    Contudo, ressalvas devem ser feitas ao movimento e a releases procedentes da Câmara, pois estão produzindo confusão ao invés de iluminar os fatos.

    Os líderes religiosos têm rejeitado as investidas do MP e da Prefeitura, alegando que seus templos não têm finalidade de lucro e que, assim, não têm como pagar alvarás. Se o temor é financeiro, não há razão de ser, pois entidades naquela condição podem, com base na lei, obter isenção de tributos e taxas. Não há razão, portanto, para se opor o MP e à Prefeitura, sobretudo porque a medida vem no sentido de oferecer maior segurança aos rebanhos de fiéis. 

    Há quem pondere que a reação ao MP e ao Executivo esconderia outras motivações, como, por exemplo, alguns templos não serem filantrópicos como dizem ser. Há quem diga que a confusão foi deliberadamente criada pela direção da Câmara, que desde o início da Legislatura vive às turras com o prefeito Eduardo Leite, supostamente porque este não está cedendo à política de toma-lá-dá-cá com vereadores em relação à ocupação de cargos de confiança na Prefeitura. Por fim, haveria o interesse meramente em manter base eleitoral nos terreiros, utilizando um falso cavalo de batalha. São hipóteses sem comprovação. 

    O fato é que a reação radicalmente refratária ao bom senso e à legislação é inexplicável, principalmente vinda do Poder Legislativo, que produz leis e, em tese, deve zelar pela qualidade de vida da população.

    O fundamento oficial do pedido de arquivamento do processo, elaborado pela Procuradoria da Câmara e assinado pelo presidente do Legislativo, é de “que religião e Estado não podem interferir um no outro”. O documento sustenta ainda que o Plano Diretor da cidade não regra a matéria e por isso “não haveria motivo para a Prefeitura regular o funcionamento daqueles centros, penalizando-os como estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços”.

    Na frase acima, a Câmara tenta "por a culpa" na Prefeitura, quando na verdade a cobrança partiu do MP.

    Como se nota, os argumentos da Câmara e dos líderes religiosos contrários ao MP, por tudo que se disse até aqui, são absurdos. Em resumo, porque, segundo confirma a secretária de Gestão, Joseane Almeida, o Plano Diretor prevê que toda e qualquer atividade não residencial deve ter alvará, o que inclui templos religiosos. E porque, mesmo que não almejem lucro, todos os templos podem tirar alvarás recorrendo ao pedido de isenção tributária, sobretudo porque, como se disse, é questão de segurança, de apreço à vida.

    Segundo a Prefeitura, só líderes de religiões de matriz africana reagiram ao MP e às notificações. Os demais, não.

    Paulo Charqueiro, promotor: recuará?

    Na audiência de cerca de um mês atrás, na Câmara lotada de fiéis africanistas, a Prefeitura e o promotor Paulo Charqueiro aceitaram pedido da Câmara para que as notificações do Executivo fossem suspensas por 45 dias e que novas não fossem emitidas. Supostamente, queriam tempo para as casas religiosas apresentarem defesa junto ao MP.

    Agora, a 15 dias do final do prazo, Ademar Ornel envia ao promotor um pedido de arquivamento do processo que cobra os alvarás dos templos.

    No dia 7 de julho de 2011, o promotor Paulo Charqueiro foi homenageado na Câmara com o título de Cidadão Pelotense. A oferenda foi dos vereadores Milton Martins (PT) e Ademar Ornel, hoje presidente da Câmara. Charqueiro aceitou e posou para foto. 

    Quem conhece o promotor diz que este fato não o impediria eticamente de prosseguir com o inquérito, que Ornel, agora, pede para ser suspenso.

    ____________________________

    PS: No pedido de arquivamento do inquérito, Ornel sustenta que "religião e Estado não podem interferir um no outro”. Trata-se de um argumento, assim redigido, pouco claro do seu verdadeiro sentido.

    Além disso, vale lembrar, por curiosidade, um fato paradoxal quanto a este argumento: em 2011, o vereador esteve presente a uma cerimônia de religião de matriz africana dentro do Mercado Municipal. No chão do Mercado, espaço do poder público (laico, portanto), sob os olhos de Ornel, foram enterrados um cabrito, três galos e um casal de pombos. 

    Os animais foram mortos por membros da Sociedade 'Beneficente' São Jerônimo, em cerimônia coordenada pela Yá Joyce de Xangô e Yá Gisa de Oxalá. 

    Objetivo do ritual, segundo se divulgou, foi restabelecer o bará (proteção) ao lugar e para que o local, que estava prestes a ser reinaugurado, "tivesse sucesso".

    Facebook | Twitter | RSS | Instagram

    Linha editorialPrêmios e Comentários

  • Cinema: O fim

    Déborah Schmidt

    Imaginem uma festa na casa do ator James Franco. Agora imaginem os convidados: Seth Rogen, Jay Baruchel, Jonah Hill e Craig Robinson. Pois é exatamente assim a comédia apocalíptica É o Fim. Todos interpretam a si mesmos, na melhor comédia do ano até agora.

    Estranhos acontecimentos ocorrem em Los Angeles, mas, antes de os protagonistas ficarem confinados na casa de James Franco, conhecemos outras celebridades também presentes à festa, como a cantora Rihanna e os atores Michael Cera, Jason Segel, Paul Rudd e Emma Watson. Isso só pra ficar nos nomes mais famosos.

  • Casa Fora do Eixo: um depoimento impactante

    Líderes do Mídia Ninja e do Fora do Eixo, no Roda Viva (vídeo abaixo), são desmitificados pelo depoimento deste post - prestado por uma integrante que abandonou a organização, ainda pouco conhecida do grande público


    Blog do Noblat - Quem acompanhou as manifestações de rua das últimas semanas certamente ouviu falar na Mídia Ninja – grupo de jovens que cobriu tudo ao vivo pela Internet.

    No programa Roda Viva da TV Cultura, na última segunda, dois de seus mentores – Pablo Capilé e Bruno Torturra – foram entrevistados. Desde então, uma grande polêmica toma conta da rede.

    A Mídia Ninja faz parte de uma organização muito maior, chamada Fora do Eixo (FdE). É uma rede com ramificações em todo o País, que reúne produtores culturais, artistas e bandas independentes.

    Irrigada com dinheiro público dos governos federal, estaduais e prefeituras, além de Petrobras e grandes empresas privadas, o FdE mantém em várias cidades (inclusive em Pelotas) as chamadas Casas Fora do Eixo, onde grupos de jovens vivem e trabalham, gratuitamente. Tudo é compartilhado e ninguém é dono de nada, nem das próprias roupas.
  • Falar erado...

    Luciana Vinhas*

    Logo que eu cheguei ao Sudoeste Paranaense, em março de 2010, percebi que poderia me deparar com manifestações linguísticas particulares, diferentes daquelas da comunidade linguística de minha origem. Como sou professora da área de Letras, essa nova experiência poderia ser mais uma “aventura científica”. Passei, então, a observar as semelhanças e diferenças entre a minha variante, do sul do Rio Grande do Sul, e a variante do sudoeste do Paraná.

    Duas diferenças de ordem fonético-fonológica foram rapidamente identificadas: a quase ausência do processo de palatalização em determinados contextos lingüísticos e a produção do R fraco (tepe) entre vogais e em início de palavra. Isso significa que, respectivamente, no Sudoeste do PR fala-se GENTE ao invés de GENTCHI e MORER ao invés Decidi escrever este pequeno texto porque, há poucos dias, fui interpelada para pensar a respeito do assunto. Visitei uma escola para realizar uma observação de estágio e o vice-diretor do estabelecimento me convidou para uma conversa. Timidamente, ele me perguntou: na universidade, vocês têm algum curso para corrigir a pronúncia das palavras? Naquele instante, percebi que o meu papel como linguista não estava tendo o alcance social que deveria. Fui severamente afetada pela pergunta do professor, porque o questionamento funciona como um sintoma de uma prática social excludente, qual seja, a reprodução da ideia de que algumas pessoas falam corretamente e outras falam “errado”.

    Apesar de essa não ser a minha área de atuação na ciência linguística, fui impelida para escrever a respeito do assunto. Não se admite, na ciência da linguagem, que existam formas erradas de se falar. Como prova do que estou afirmando, basta observar as dezenas de textos do linguista Marcos Bagno, publicados na Revista Caros Amigos e na forma de livros. Contudo, ainda se acredita que há uma forma “correta” (ou “coreta”?), e esse pensamento ecoa, principalmente, entre os falantes das variantes socialmente compreendidas como as “incorretas”.

    Todo professor de língua portuguesa tem o dever de interromper com a reprodução desses saberes de ordem preconceituosa. Nossa sociedade tem, cada vez mais, se manifestado a favor de movimentos em prol das minorias. No meu ponto de vista, isso deve, da mesma forma, ser estendido para questões de preconceito linguístico.

    Há diferenças entre a linguagem oral e a linguagem escrita, e isso é um dos assuntos que deveriam ser trabalhados na escola. Essa instituição deve ser espaço de promoção de debates nesse sentido. No entanto, percebe-se que, em determinados casos, ela acaba fomentando a reprodução do ideal de língua homogênea, apagando, assim, as diferenças próprias de cada comunidade. 

    O nosso “jeito de falar” é parte de quem somos. Dizer que ele é errado seria dizer que não podemos ser como somos. É censura. É ditadura.

    * Luciana Iost Vinhas é professora de Língua Portuguesa e Linguística na Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Realeza-PR. Natural de Pelotas.

    Facebook | Twitter | RSS

    Instagram | Prêmios | Comentários

<
1...2223242526...50
>