http://www.marvelsul.com.br/site/content/home/
  • Branco e negro fingem roubar uma bicicleta

  • Prefeitura diz: professor não receberá menos q piso

    RELEASE ENVIADO PELA PREFEITURA À IMPRENSA 

    Prefeitura regulariza vencimentos dos professores

    Nenhum professor da rede municipal de educação receberá menos que o valor do piso nacional do magistério. Esta garantia foi dada por meio da Lei Municipal 6.076, de 7 de janeiro de 2014, a qual concede complemento de vencimento aos 130 professores da rede municipal que não recebem incentivo.

  • Vegetariano por 30 anos, Roberto Carlos se vende à Friboi

    Faz diferença um artista entregar imagem e obra a uma empresa de carnes, cerveja (...)? Sim (...) Em se tratando de Roberto Carlos, é coerente com alguém cuja missão tem sido se vender (...). Está, agora, esperando a proposta de algum laboratório para dizer que se curou do TOC (KN)


  • Como dinheiro público patrocina a Globo há décadas

    Dinheiro público financiou a gráfica que hoje é elefante branco

    Paulo Nogueira, Diário do Centro do Mundo

    A Globo falando de forças antidemocráticas chega a ser engraçado.

    Foi num editorial do Globo, e as tais forças eram os manifestantes (recentes protestos no País).

    Em 1954, Roberto Marinho trabalhou intensamente para derrubar Getúlio Vargas.

    Vargas trouxe o voto secreto, deu às mulheres o direito de votar, criou leis trabalhistas que regularam o horário de trabalho e estipularam férias.

    Em 1964, mais uma vez Roberto Marinho foi destaque para derrubar um governo popular, agora o de João Goulart.

  • Leitora denuncia: "Falta de sinalização na Avenida Engenheiro Simões Lopes provoca muitos acidentes"

    Daiana Garcez

    A foto acima é de um acidente ocorrido na madrugada deste domingo (23), às 00h30, entre duas motos. Três pessoas ficaram feridas, uma delas gravemente. 

    Um dos motoqueiros cruzou o canteiro, invadiu a pista contrária e bateu de frente com outra moto que vinha no sentido contrário, devido à falta de sinalização do cruzamento da Avenida Engenheiro Ildefonso Simões Lopes com a Avenida Ulysses Guimarães, no bairro Três Vendas, próximo à União Gaucha, Macroatacado Krolow e Ferragem Lorenzet.

  • Que fazer com troféus?

    Julião, comentando o post  As vaporosas colunas sociais pelotenses

    "Um negócio com futuro em Pelotas seria uma empresa de descarte de troféus...  Em décadas, tanta gente, incontáveis vezes, recebeu tantos troféus de colunistas sociais e de outros homenageadores que as prateleiras de casa devem estar abarrotadas dessas inutilidades distribuídas a rodo".

    LEIA MAIS:

    Vida e morte de Henrique Luís, poeta q foi colunista social em Pelotas

    Por que alguns pelotenses amam coluna social

    As vaporosas colunas sociais pelotenses

  • As vaporosas colunas sociais pelotenses

    Rubens Filho

    As colunas sociais de Pelotas merecem ser estudadas na Academia. Profundamente... Elas revelam a alma de um nicho, estranho nicho, que se alimenta da aparência mais do que da realidade - e acha que convence os demais. Muda o século, mas a coluna social pelotense, esse edificante pilar da civilização ocidental, não abandona o Arcaísmo... Até a Igreja o Papa vem modernizando. Já a nossa CS. 

    Gosto de ler as colunas sociais da terra... Não pelo conteúdo, que não há nenhum, mas pelo vaporoso estilo de promoção ostensiva dos emergentes. Me divirto muito, dou (damos) gaitadas...

    Para mim, as CS têm outra utilidade mais importante: elas servem como uma espécie de manual de "profissionais" a não contratar - jamais, never, nunca... Afinal, se a pessoa sai na coluna social a toda hora, se precisa sair, se até paga para aparecer naquele pequeno mundo cor-de-rosa, não pode ser bom profissional. Ah, não pode... Pode haver um ou outro, vá lá, mas a maioria não é... Gente séria e boa em sua atividade não depende de badalação em coluna social, ainda mais no estilo rococó das nossas. 

    A seguir ofereço a você um exercício de estilo que fiz, com alguns colegas, tentando imitar a linguagem da coluna social típica de Pelotas, aquela que lembra cláusula pétrea, já que nunca muda. Os textos são incrementados, claro, com alguma pimenta e ironia. 

    Bom fim de semana a todos e boa leitura. Lá vai:

    ______________________________

    Monalisa: estará rindo?

    Tour pela Europa 

    O bonitão Roberto Costa de Medeiros, filho do elegante casal Luís e Marina, ele dentista, ela advogada, está indo fazer um tour pela Europa. Bob, como é conhecido pelos mais íntimos, acaba de se formar em Arquitetura pela Universidade Federal de Pelotas. O boa pinta ganhou a viagem dos pais como presente por essa bonita conquista. Ele fará um giro cultural pelos principais museus, a começar pelo Louvre, onde pretende ver de perto a Monalisa e conferir se ela de fato ri.

    Eixo Pelotas-Rio Grande

    Personalidades do eixo Pelotas-Rio Grande confirmaram presença no jantar-dançante promovido por este colunista. Na ocasião, será entregue o Troféu Celebridade Pelotina de Ouro. O evento manterá a trajetória de elegância e requinte das últimas luxuosas e impecáveis edições. Para comparecer ao jantar, a cargo do competente restauranteur Adriano, do La Côte Basque, interessados devem procurar o colunista. Os convites custam R$ 500. Com direito a dançar numa pista envolto em gelo seco e a ter a foto publicada na coluna toda a semana.

  • Flagrante da cidade: barqueiro

    ***
  • O estranho caso do juiz fanfarrão, de sua foto na praia e do sumiço de cocaína no Paraná

    Kiko Nogueira, Diário do Centro do Mundo

    O juiz federal paranaense Marcelo Antonio Cesca, 33 anos, está tendo seus 15 minutos de fama depois que uma foto sua na praia, com uma namorada bem mais nova, virou notícia. Junto às imagens, ele escreveu no Facebook: “Eu agradeço ao Conselho Nacional de Justiça por estar há 2 anos e 3 meses recebendo salário integral sem trabalhar, por ter 106 dias de férias, mais 60 dias pra tirar a partir de 23/03/14, e por comemorar e bebemorar tudo isso numa quinta-feira”.

    Era um “protesto”. Cesca foi afastado em 2012 com um diagnóstico de depressão. Mas, segundo ele mesmo, três médicos o apontaram como apto para voltar ao trabalho.

    Com um salário calculado em 22 mil reais, virou o símbolo da vagabundagem, de que o Brasil, nas palavras imortais de Sheherazade, não é um país civilizado.

    Mas será essa a história completa?

    Não.

  • Leite assina contrato de R$ 1,5 mi para mobilidade urbana

    O prefeito Eduardo Leite assinou, na tarde desta quarta (19), contrato com a Incorp Consultoria & Assessoria Ilimitada, para elaboração de projetos de reestruturação da mobilidade urbana no Município. Por seis meses de trabalho, a Prefeitura vai pagar à Consultoria R$ 1,5 milhão.

    O projeto diz respeito, segundo o Executivo, "à intervenção arquitetônica, estrutural, pavimentação asfáltica e drenagem nas ruas General Osório, Marechal Deodoro, Leopoldo Brod, Floriano Peixoto, Voluntários da Pátria, General Neto, Dom Pedro II, Gomes Carneiro e nas avenidas Duque de Caxias, Domingos de Almeida, Ildefonso Simões Lopes, Juscelino Kubitschek de Oliveira e Saldanha Marinho".

  • Réu do "mensalão" do PSDB, Azeredo renuncia ao mandato de deputado

    Deputado é alvo de acusação do Ministério Público Federal por peculato e lavagem de dinheiro. Seu caso está em análise no Supremo Tribunal Federal

    Azeredo nega que sua decisão tenha sofrido influência de Aécio Neves

    Em clima de surpresa para quase todos os parlamentares, o deputado Eduardo Azeredo renunciou hoje (19) ao mandato na Câmara dos Deputados. A carta, entregue pelo filho de Azeredo, Renato Azeredo, no início da tarde, foi lida em plenário minutos depois, oficializando o afastamento do político, réu na Ação Penal 536, o processo do mensalão mineiro.

  • A tática do constrangimento

    Crônica

    "Quando a moça leva a mão ao botão que acende a luzinha vermelha no topo do caixa é para que todos vejam que um cliente está criando caso por um preço errado. A verdadeira função daquela luz de alarme é constranger o freguês"

    Nilo Nascimento

    Depois de setecentos gramas muito bem mastigados, saio do restaurante universitário e caminho até o supermercado. No meu bolso um pedacinho de papel com os quatro produtos cujos nomes não consegui decorar: papel higiênico, bandeja para bolo, queijo, camisinha. No outro bolso uma solitária nota de vinte reais. Mais duas quadras e já estou na porta do supermercado.

  • Uma aula de democracia na UFPel

    Vivi Stuart

    O tratamento dado pela atual Reitoria da UFPel aos reclames de estudantes merece registro.
  • Laranjal antigo

    Anos 60

  • Uma cobrança justa e esperada

    Rubens Filho

    Não basta à mulher de César ser honesta; precisa, também, parecer honesta. Este provérbio cai como luva no caso da contratação, pelo prefeito Eduardo Leite (PSDB), da consultoria mineira Falconi, com objetivo, segundo ele, de melhorar os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) local.

<
1...2223242526...142
>